Epifitismo

Bem Vindo!

Epifitismo é a forma de relação harmônica das plantas que se desenvolvem sobre outras sem parasitá-las.
A maioria das epífitas são encontradas nas Florestas Tropicais Úmidas, sendo responsáveis por parte significativa da diversidade destes locais, totalizando aproximadamente 23.500 espécies, pertencentes a 84 famílias e 876 gêneros. As temperaturas mais ou menos elevadas, podem favorecer o desenvolvimento de comunidades epifíticas altamente diversificadas.

O que é Epifitismo?


Etimologicamente o termo 'epífitas' significa 'sobre plantas' e aplica-se a plantas que no seu habitat natural crescem ou se apóiam fisicamente sobre plantas ou objetos.

São espécies vegetais que não se enraízam no solo e que dispõem de sistemas biológicos nas folhas para absorver umidade do ar e extrair a sua alimentação mineral da poeira que recai sobre si, servindo-se das raízes, quando existem, apenas para suporte físico. Por esse motivo, não devem usar-se abrilhantadores das folhas nestas plantas porque podem prejudicar funções que noutras plantas são desempenhadas pelas raízes.

De porte discreto, fixam-se sobre outras árvores ou em objetos elevados como rochas, telhas, construções, para receber luz solar e umidade com maior facilidade do que se estivessem no solo. São comuns em florestas tropicais onde a competição por luz e espaço selecionou plantas que não conseguiam prosperar no solo.

Algumas dispõem de raízes superficiais que servem apenas de sustentação, por vezes acompanhadas de um fungo (micorrizo) que se encarrega de transformar a matéria orgânica morta à superfície da casca das árvores em sais minerais. Deste modo, as epífitas não são parasitas nem prejudicam as árvores onde crescem, utilizando o hospedeiro apenas como suporte para alcançar o ambiente ideal em níveis mais elevados da floresta.

Existem cerca de 400 espécies de plantas principalmente epífitas. Encontram-se exemplos entre os fetos, os cactos e, sobretudo, entre as orquídeas e as bromélias.

Necessitam de umidade e de luz e retiram o seu alimento da chuva e das partículas em suspensão no ar. Preferem naturalmente água com características próximas da água da chuva, portanto água macia ou não calcária (desmineralizada) pelo que também são plantas acidófilas.

Pelos motivos expostos não necessitam de ser cultivadas em terra nem de ser regadas. Em ambientes secos ou sob temperaturas mais elevadas as folhas devem ser borrifadas. Apreciam bastante luz, mas não devem receber luz solar direta, com exceção de alguns casos adaptados a ambientes mais agrestes.

Em Nova Friburgo, região de um dos mais importantes remanescentes da Mata Atlântica brasileira, é possível encontrar diversas aráceas (Anthurium, Philodendron, Monstera, Heteropsis, etc.), muitas bromélias, orquídeas, samambaias, gesneriaceas, trepadeiras, arbustos e árvores floríferas ou notáveis por alguma característica.

É possível encontrá-las em jardins, ou apartamentos como decoração ou paisagismo ou até mesmo, nos principais pontos turísticos da cidade.



8 comentários:

Gabi Ancilotto disse...

muito legal parabens

Gabi Ancilotto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Me salvou

Em busca de um nome disse...

me salvou

Thais Biologia disse...

me ajudou mt em um seminário

anderson de almeida disse...

Vai toma no cu

Gervásio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gervásio disse...

n entendi

Postar um comentário